THE STRAITS passam por Portugal em Março (2012)

Os Dire Straits são uma das bandas mais importantes da história da música e há sempre uma grande vontade do público em ouvir ao vivo as grandes canções que marcaram a carreira desta grande banda. Quem melhor para o fazer do que três dos antigos membros dos Dire Straits?

Alan Clark, Phil Palmer e Chris White, juntaram-se para fazer a vontade ao público e trazem agora o espectáculo a Portugal para dois concertos imperdíveis, a 21 de Março no Hard Club, no Porto, e a 22 de Março na Aula Magna, em Lisboa. Além dos três ex-Dire Straits, em palco vão estar também mais quatro músicos: Steve Ferrone, que já tocou com Tom Petty ou Eric Clapton; Terence Reis, que tem a difícil tarefa de substituir Mark Knofler e a particularidade de ter nascido em Moçambique; Mick Feat, que já colaborou com Tina Turner ou Art Garfunkel, e Jamie Squire, o mais novo do grupo mas já considerado um teclista virtuoso.

Temas intemporais como “Sultans of Swing”, “Brothers in Arms”, “Money for Nothing” ou “Private Investigations”, vão fazer parte deste momento único que o público português vai poder presenciar ao vivo.

BILHETES Á VENDA:

HARD CLUB: 25 EUROS

AULA MAGNA: VARIA ENTRE OS 25 3 30 EUROS

Um evento: EVERYTHING IS NEW

VISITA O SEPARADOR TICKETS

About these ads

11 thoughts on “THE STRAITS passam por Portugal em Março (2012)

  1. Esperei 25 anos para ver estes gajos actuar ao vivo, e não vou perder de certeza. Fantástica a nova banda, indiscutivelmente com Alan, Chris e Phil membros da grande banda dos Dire Straits, e Terence com árdua tarefa se substituir Mark Knopfler, mas pelo que já vi em videos, não lhe fica (muito) atrás. Vou gritar por vocês na primeira fila!!! :)

    • dire straits sem o mestre da guitarra… nao e dire straits o mark é e será para sempre aquele que me faria ir ao concerto.sem ele é a mesma coisa que ir a caça com um gato em vez de um cao!!!!
      adoro os staits mas sem ele nao obg

  2. Sim, o mark knopler há-de ser sempre o mark knopler…mas vi-o ao vivo no campo pequeno, e acho o som dos The Straits mais parecido com os Dire straits do que o mark com outra banda a cantar as musicas dos dire straits, mas só para ouvir estas musicas vale a pena de qualquer maneira…dia 22 lá estarei na aula magna. Imperdivel!

  3. Sou fã de dire straits há 30 anos e estou triste porque o concerto não vai ser como os fãs iriam gostar, sem Mark knopfler meus amigos tenham muita sorte para quem os forem ver, abraços dum fanático por DIRE STRAITSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS

  4. Sem Mark Knofler não é seguramente o mesmo. Pese embora o facto de todos os presentes serem excelentes instrumentistas, e por si só, ser garantia de espectáculo de qualidade. No entanto o que gostaria verdadeiramente, era de poder ver a banda completa. Porque Dire Straits sem o carismático líder com a sua inconfundível voz e virtuosismo com a guitarra, não são Dire Straits. Tenho aliás para mim que os elementos das grandes bandas nunca se deviam separar, a menos que por motivos de força maior, doença ou morte. Até porque no caso concreto do Mark Knofler, os trabalhos dele a solo também perderam em relação ao que ele produzia enquanto elemento dos Dire Straits. Juntos tinham de longe mais para dar ao mundo da música. Melhores cumprimentos a todos os fãs.

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s