Aquelas Três – Feromona

    O Live Shows Portugal assinalou como terceira review, no âmbito de álbuns com assinatura portuguesa, o EP “Aquelas Três” dos Feromona. As três que compreendem maior dimensão do que um álbum de doze. Um EP vigoroso e absolutamente expressivo, que resulta de uma conjunção de três faixas liricamente claras – o que as torna memorizáveis – e de uma sonoridade extraordinariamente brilhante.

    Fundada em 2003, em Lisboa, por três sujeitos apreciadores de rock da década de 90, os Feromona possuem dois Lp’s construídos ao longo da sua carreira, intitulados de “Uma Vida a Direito” e “Desoliúde”. De três para quatro, a banda conta com a presença de João Gil desde 2010. Com um projeto totalmente em português, os Feromona acrescentam mais um EP ao seu perfeito percurso até ao presente. Com demasiadas influências para se enumerar, a banda vai conquistando gradualmente qualquer amante de um bom rock português, sem desenvolver um colossal impacto no território em referência. Talvez a falta de reconhecimento os torne tão próprios para quem os aprecia, assim continuarão a construir o que tão bem compõem sem obedecer a qualquer género de tendência contemporânea.  

    “Sábado à Tarde”, primeira faixa do EP, é do género de tema em que desejamos cantar com um tom elevadíssimo e propositadamente desafinado, de forma entrar em estado de desinibição e diversão absoluta. A faixa descreve evidentemente um sábado à tarde em Lisboa, onde existe banalidade, feira da ladra e até um segundo refrão em espanhol para descrever precisamente o nomeado dia do anhanço. 1991 é a segunda das três, e como o titulo indica, esta faixa remete-nos para os acontecimentos deste mesmo ano, incrementando uma nostalgia imensa àqueles que se identificam com o tema. Desde Johnny Utah (Keanu Reeves) do Point Break a Tony Hawk, Axel Rose e até mesmo Kurt Cobain e o seu Nevermind, esta canção marca uma viagem de regresso a 1991, não só em termos líricos, mas também melodicamente. Ultimamente, e como o melhor permanece no final, o EP termina com Che Guevara eunuco. Esta faixa detém de uma composição exemplar, apresentando os melhores riffs do EP e a letra com maior peso/palavra. Em particular, admito que a letra nos conduz substancialmente à perceção de uma reflexão que muitos detemos atualmente, o espírito de ter ideias revolucionárias e não as exteriorizar. A reflexão contida em uma ideia de mudança que permanece na ilusão de um ideal não executado.

    D’Aquelas três, o Live Shows Portugal elege CheGuevara eunuco como faixa favorita.

    Um Ep para ouvir e repetir diversas vezes. Cantar ao som de “Sábado à Tarde”, entrar em nostalgia com “1991” e refletir com “Che Guevara eunuco”. Mais uma magnífica criação com assinatura dos Feromona. Uma “rockalhada” exemplar totalmente em português. 

O álbum encontra-se para download no bandcamp da banda por preço indefinido, ao critério de cada ouvinte. 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s