Birds Are Indie – How Music Fits Our Silence

O LP de estreia dos Birds Are Indie, intitulado de “How Music Fits Our Silence” é, a escolha da semana da Live Shows Portugal, nesta que se assinala como oitava review no âmbito de trabalhos com assinatura portuguesa. Um sonoro intimista de um duo que combina impecavelmente através de vozes e ritmos tão aliciantes e extasiáveis que seria quase possível afirmar que existe perfeição, apesar de esta ser utópica. Utópica ou não, um álbum como o que nos encontramos a referir acha-se perfeito.

                Há sido em Fevereiro de 2010, que um rapaz e uma rapariga, naturais de Coimbra, encetavam este projecto. Joana e Jerónimo apaixonaram-se há 14 anos e lançaram até há presente data três Ep’s e um LP. Incrível como esta carreira já leva algum ímpeto e muita inspiração na edificação de todos estes trabalhos. Em Setembro 2010, chegava a vez do seu EP, “Life is Long”, editado pela netlable Mimi Records. No ano seguinte chegava-nos “Ok, It’s Christmas”. Três Ep’s depois, chega-nos este soberbo álbum denominado por “How Music Fits Our Silence”, editado pela Murmürio Records.

                “Instead Of Watching Telly” dá o pontapé de saída para um álbum de 12 faixas sublimes. O tema oferece-nos uma percepção lírica onde subsistem melhores realidades do que envelhecer a assistir televisão, tais como, passar o dia com alguém especial. Uma faixa doce no que toca à sua melodia. “Evelyn” fica marcada pela distância descrita no tema e, especialmente por um dueto delicioso compatibilizado por uma harmónica afinada, um instrumento que remete para a melancolia do ser quando tocado deste modo. Saltamos uma, que não fica esquecida, e encontra-mos “Black Sun”. Achei esta letra curiosa, portanto, acabei por averiguar quem descreveria. Uma melodia dedicada ao seu animal de estimação, Rebeca, uma gata que parecia bastante amável. A animação aproxima-se com “I Will Say It In Your Face”, uma canção repleta de vivacidade. “So Far” assinala de novo um registo um pouco mais calmo, onde nos deparamos com uma melodia condutora de sensações e aprazíveis acordes. Avançamos para “Bad Hair Day”, faixa que remete para aquela sensação estranha chamada de “falling in love”. Animada, cativante e descontraída, esta canção encaminha 2 minutos constituídos por um dueto repleto de cumplicidade. A reprodução já vai adiantada, e quando se aproxima de “What I Really Love Is”, chegamos à faixa nº10. Uma canção segura e positiva, onde o duo nos conta tudo o que ama, sobretudo que se ama mutuamente. No final deste soberbo álbum de originais encontramos “The Place” e “Empty Picture Frames”, dois temas que cessam este trabalho de forma bonita e madura. Uma maturidade construída por um casal apaixonado que deposita todo esse sentimento nas suas canções, através de letras e melodias sentidas.

                “How Music Fits Our Silence” é um álbum repleto de experiências pessoais e sentimentos resplandecentes e autênticos. Um duo português que faz música com sentimento de forma descontraída. “Once upon a time there was a girl and a boy. They fell in love”.

                Como faixas favoritas elegemos “Evelyn”, “What I Really Love is” e “The Place”. 

O álbum encontra-se disponível para reprodução e compra no bandcamp da banda.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s